Confiança

Brené Brown é uma autora que pesquisa vergonha, medo, culpa, coragem, liderança e CONFIANÇA. Em uma de suas apresentações ela contou sobre os resultados a cerca deste tema e compartilhou um olhar muito significativo sobre o universo da CONFIANÇA. A Confiança é construída enquanto vivenciamos alguns momentos e gestos. Brené utilizou a metáfora do pote de bolinha de gude. Nesse caso bolinha de gude representa pequenos sinais de que podemos confiar em determinada pessoa. Mas como seria possível medir e validar o merecimento das tais bolinhas de gude para que o pote do relacionamento com aquela pessoa ficasse cheio? A autora elaborou uma análise da palavra CONFIANÇA que faz muito sentido e pode ser de grande auxílio para ajustar a lente pela qual você tem compreendido a vida. *em inglês ‘trust’ = ‘braving’ B – BOUNDARIES (LIMITES) Qualquer relacionamento que tenha confiança deve ter limites que permitam proteger todos os envolvidos. Isso significa que eu confio em você se você tiver certeza sobre os seus limites e os respeitar e, também, se você conhecer os meus limites e os respeitar. R – RELIABILITY (CONFIABILIDADE) A confiabilidade é um dos sentimentos mútuos mais importantes que precisam estar presentes em um relacionamento de confiança. Isso significa que eu confio em você se você fizer o que você falou que iria fazer, não só uma vez, mas sempre.

A – ACCOUNTABILITY (RESPONSABILIDADE) Autorresponsabilidade. Eu confio em você porque sei que você será capaz de assumir seus próprios erros, pedir desculpas e procurar uma conciliação/solução. E eu também me sentirei seguro para agir desta forma. V – VAULT (COFRE) Um cofre é muito importante no processo de confiança. É o processo de confiar que o que eu confidenciei a você será sempre mantido em segredo. Outro ponto importante é não alimentar conversas que tenham como pano de fundo informações de outrem. Não buscar estabelecer uma intimidade com alguém utilizando como ferramenta a história de outra pessoa. Desejamos que nossa história seja respeitada e devemos respeitar a história das outras pessoas. (# fofoca branca) I – INTEGRITY (INTEGRIDADE) A integridade é fundamental para balizar o relacionamento em qualquer relacionamento. A autora compartilha a definição do que é INTEGRIDADE: escolher a coragem ante uma situação de conforto; optar pelo que é certo ante ações e escolhas mais divertidas, fáceis e rápidas; praticar a sua moral, seus valores e não apenas falar sobre eles.

N – NON-JUDGMENT (NÃO-JULGAMENTO) Saber que tem um refúgio seguro, livre de qualquer julgamento no outro, quando se sentir sem esperança, despedaçada, triste. E o mesmo pode acontecer na outra direção. Não julgar o pedido de ajuda e saber pedir ajuda, deve ser recíproco e livre julgamento. G – GENEROSITY (GENEROSIDADE) Confiar nas minhas boas intenções e vice-versa. Desenvolver generosidade mútua sobre palavras, ações e comportamentos uns dos outros. Se existir algum desconforto acontecendo devemos ter abertura para conferir a intenção, direção e orientação da atitude do outro que lhe incomodou. É interessante essa perspectiva de quebrar um sentimento tão valioso como este em pequenos pedaços porque desta forma temos condições de alinhar com o outro o que está incomodando e o que traz ou trouxe em alguma situação um desconforto e insegurança. O estudo apresenta outra reflexão maravilhosa. Para que possamos estabelecer relacionamentos de confiança com o outro é fundamental confiar em nós mesmos e nos lembrar de esclarecer nossos limites e todos os pontos acima abordados. Será que confiamos em nós mesmos? Que tanto somos generosos, assumimos nossas boas intenções para conosco, nos mantemos íntegros, coerentes, consistentes e assumimos a responsabilidade pela parte que nos cabe? Só podemos dar o que temos e o que somos. “I don´t trust people who doesn´t love themselves but say I love you (Eu não confio em pessoas que não amam a si mesmas mas dizem Eu te amo). ” Maya Angelou.

0 visualização
Inscreva-se para receber conteúdos e novidades!