Histórias que contamos…

Sobre as histórias que nos contamos

A principal causa de estresse para a maioria das pessoas decorre da ansiedade e das preocupações que elas mesmas geram; e como o corpo reage igualmente a imagens mentais e sensoriais, aprender a monitorar e separar os pensamentos é um importante passo em direção à paz interior. Há uma técnica muito interessante, originária de uma tribo africana, que nos ensina sobre conscienciosidade de pensamento: Desde pequenas as crianças dessa tribo são treinadas de modo que estejam conscienciosas de seu pensamento. Se um indivíduo toma consciência de um pensamento pressagioso do tipo: “Oh não, e se houver um leão escondido atrás daquela árvore pronto para me devorar?”, ele aprende primeiro a reconhecer e depois abandonar o pensamento, admitindo para si: “Essa é uma história que não precisa acontecer!” Essa técnica não é para se livrar de pensamentos negativos nem se refere ao poder do pensamento positivo. Se um tipo de pensamento “agourento e melancólico” indutor de estresse aparece na mente, reconheça-o, não tente livrarse dele, siga com ele ou mesmo analise-o. Simplesmente respeite-o e deixe-o passar. Essa meditação dinâmica sobre o fluxo de pensamentos também é útil no reconhecimento de que gostaríamos que algumas dessas histórias que espocam na mente acontecessem. Em resposta a um desejável cenário mental, podemos dizer: “E esta é uma história de cura!” Podemos abençoar ou energizar pensamentos.

Texto: Moema Alencar

0 visualização
Inscreva-se para receber conteúdos e novidades!