Liberdade

Cada vez mais fica clara a importância de ser responsável pela própria vida. Vou andando pelo mundo e me deparando com situações covardes e egoístas aonde é muito comum e fácil colocar a responsabilidade pela vida que se leva, pela biografia que se escreve, na conta dos outros.

Essas escolhas, cheias de jogos psicológicos, acontecem de forma tão natural por aí. A real é que se trabalhar e ter a verdade como guia na viada são escolhas desafiadoras porque nos tiram completamente da zona de conforto mas é também o caminho para a verdadeira liberdade.

Liberdade que nós nos permitimos e garantimos ao acolher, cuidar, nutrir, nossos SER. Liberdade de viver firme e fiel aos seus valores e princípios guias. Liberdade que não te deixa desamparada, na verdade é ela que te ampara, que te emociona, que inclusive dá passagem para sentimentos e emoções. Liberdade responsável pela vida que se vive.

Hoje em dia entendo com muita clareza o que me fez escolher o caminho do desenvolvimento pessoal para colocar meus dons e talentos no mundo. É porque este é um caminho que liberta. Nos liberta do medo, do choro preso na garganta, da vida sem sentido, da culpa que nos deixa refém na vida. Liberta da dor, dos fracassos, da raiva. É um caminho que te liberta para dar passagem a tudo isso e muito mais. Aos poucos, acabamos sendo mais o que realmente somos do que um resultado dos medos, das fraquezas e angústias que nos apegamos por medo de contrariar o próximo, por medo de não ser reconhecido, por medo de querer ser diferente, por medo de sofrer entre tantos outros medos.

É preciso entender que quanto mais distante se estiver de quem você é mais sofrimento estará trazendo para sua vida. Esta não é uma boa forma de honrar sua existência. Quem ganha nesse jogo é a vítima que te habita e te faz refém das próprias escolhas porque você fez escolhas que não estavam alinhadas ao seu universo interior. O preço que pagamos por ignorar o que sentimos, por não respeitarmos nossos limites é a falta de liberdade e a honra de carregar no peito uma vida corajosa, plena e feliz.

Apesar de tudo não perca o desejo de continuar, de vibrar, de lutar. Se até então as coisas não estão como você gostaria, levante, se aprume, mude, cure, transmute, peça ajuda, dê um primeiro passo a favor da sua história.

“Ao nos tornarmos autores da nossa própria vida, escrevemos nossos próprios finais ousados.” Brené Brown

A final de contas, ser feliz é para quem tem coragem. Coragem de ser LIVRE.

0 visualização
Inscreva-se para receber conteúdos e novidades!