O poder do autoconhecimento

É preciso tempo para assimilar informações, cuidar do universo interno, do nosso infinito particular. Curar o que precisa ser curado. Isso não quer dizer que precisa ser uma experiência mística (não deixa de fazer parte do mistério da vida). Nós podemos e temos condições de fazer esses ajustes internos se estivermos comprometidos com nossa história.

O autoconhecimento nos dá esse poder e essa permissão de reorganizar saberes, culpas, dores e sintonizar a frequência que queremos. Se você enveredar pelo estudo de si mesmo, vai se beneficiar muito se tiver um acompanhamento profissional, é muito bom ter uma guiança para poder jogar luz no que está escondido dentro de nós, re-significar acontecimentos marcantes e determinantes. Não é um caminho fácil. É preciso coragem. Mas é libertador.

Procurei muita ajuda na minha vida, tiveram momentos que fazia terapia individual, em grupo, meditações, retiros, transbordava minhas dores com minhas confidentes da vida e só assim fui sarando, curando e transformando. Uma das minhas terapeutas um dia me disse que esse tipo de autodesenvolvimento iria me ajudar a ser minha própria terapeuta, que em algum momento eu teria o poder de me salvar, me resgatar e me colocar no EIXO.

Atualmente, me encontro cada vez mais dona de mim, das minhas dores, das minhas fraquezas e das minhas forças. Essa consciência me proporciona uma calma na alma e uma firmeza na minha trajetória que nunca vivi antes. Sei que isso é fruto do meu trabalho interno, da minha disponibilidade em aprender, cair, levantar, sacudir a poeira e me manter fiel aos meus princípios guias.

Diariamente faço ajustes e tenho aprendido a seguir o fluxo do meu ritmo interno e já sei identificar e colocar melhor alguns limites. O trabalho é contínuo, mas vejo os grandes passos que dei e quando olho para trás fico orgulhosa e emocionada ao sentir minha força, minha coragem e tenho aprendido a acolher minha insegurança, minha inocência, meus sentimentos de injustiça e de quando fui realmente tomada por situações dolorosas.

Situações dolorosas e adversas podem se apresentar a qualquer momento e de todas as direções, não necessariamente são tragédias. Muitas vezes as adversidades são comentários e ideias dos outros que compramos como verdade e que na verdade nos desviam do nosso caminho, são reações grosseiras e violentas dos outros, são humilhações e invasões ao nosso espaço físico e interior. Muitas vezes acontecem de forma disfarçada, por isso que é estruturante saber quem se é e viver de acordo com seus valores. Isso é o que sustenta e salva.

Cuide de seu ser interno, da porção de Deus que te habita e te faz sentir amor, gratidão e compaixão. Lembre-se que o livre arbítrio nos foi concedido para ser usado com sabedoria e isso convoca nosso sábio interior e não nossos pensamentos sabotadores e amortecedores. É preciso humildade, vontade e um compromisso profundo com a própria existência.

Daqui desejo que você saiba que é muito importante assumir a direção da própria vida e quando isso acontece as circunstâncias da vida ficam mais humanas, mais honestas e sinceras e ao mesmo tempo o caminho para convocar nosso poder pessoal fica mais acessível e disponível.

Até breve,

Dani.

0 visualização
Inscreva-se para receber conteúdos e novidades!