Que dias!

No meu íntimo confesso que fiquei e estou desnorteada, abalada, triste, com raiva de tanta falta de humanidade. Costumo dizer que quando momentos como este acontecem, dentro de nós escutamos o grito dos nossos valores. A invasão da injustiça é um exemplo de um como uma necessidade não atendida pode lhe pegar de jeito. Sei que isso se dá comigo de forma tão intensa porque a JUSTIÇA é um valor e uma necessidade estruturante para mim.

Dentro de nós temos valores que se tornam princípios guias para caminharmos na vida e que quando não são respeitados nos deixam desconfortáveis, irritados e dependendo do caso podem chegar a causar fúria e dor.

Diante dos últimos acontecimentos humanos no planeta, diante das vidas que não foram valorizadas, diante da dor do irmão ao lado, diante das ameaças e injustiças, senti uma enorme impotência.

Impotência essa daquelas que sentimos quando um pai e um irmão amado fazem a passagem para outro plano.

Tentei buscar na leitura, no trabalho uma saída, uma forma de me expressar, mas só hoje estou conseguindo colocar em palavras um tanto da minha dor. Meu olhar sobre a vida, sobre a existência de cada um, diz que somos todos filhos do mesmo pai e mesma mãe. Somos todos irmãos. Devemos cuidar uns dos outros. As atrocidades que vão sendo feitas ao longo do caminho por tantos machucam, nos fazem sentir falta de esperança.

Esse sentimento de falta de esperança foi me apresentado em alguns poucos momentos na vida, mas foram momentos de muita tristeza. Não é um bom, especialmente se isso estiver ligado à falta de esperança na humanidade que habita cada um de nós.

Então, eu conscientemente tenho fortalecido a minha esperança na vida, nas boas ações de irmãos, no olhar sincero dos meus filhos, na natureza, no sol, no ar, na reza. Isso tudo há de passar! Sim, há de passar e desejo a todos um bom banho de mar, uma refeição regada de amor, um carinho, um bom livro, uma pausa para viver o lado bom da vida.

Enquanto este momento não chega, faço a cada dia um pouco do que me cabe. É na ação, no movimento, que geramos a energia necessária para continuarmos essa jornada, dando o melhor de nós, recebendo o melhor do outro. Não devemos nos perder na dor, na falta de esperança e na descrença de que tudo fica cada dia pior, mais confuso, mais mortes, mais tragédias, mais dores, e rompimentos familiares.

Meu coração grita por um CHEGA! Grita por LEVEZA! Grita por GENTILEZA! Grita por RESPEITO!

Agradeço a você que me escutou até aqui.

Saiba que diariamente renovo meus votos e ultimamente e especialmente o voto de compaixão com a vida e também FÉ e FIRMEZA.

Seguimos juntos!

0 visualização
Inscreva-se para receber conteúdos e novidades!