Tempo de recolher e sintonizar

Durante os últimos dias, estive mais reservada, quieta e voltada para dentro. Às vezes, o universo digital nos rouba de nós mesmos. São tantas opiniões, informações, teorias que se não estivermos atentos acabamos nos confundindo, desejando o que não é nosso e aos poucos o universo interior pode ficar muito agitado, confuso e refletir na vida de fora.

Já sei que silenciar e respirar, respeitar o tempo do corpo, do Ser, traz as informações que preciso.

Mergulhei neste momento, antes mesmo da quarentena que estamos vivendo. Dei alguns passos atrás, silenciei, e busquei em mim, nos meus estudos, nas minhas experiências, a força, a direção e a frequência que estava precisando. Atualizei o GPS e fiz o download dos últimos aprendizados.

No meio disso, entramos com tudo, com medo, força, coragem, compaixão, generosidade e resiliência nesta nova fase. Dias mais isolados do grande convívio social. Dias mais presentes em casa, com filhos e família. Dias de interações que não nos deixam escapar do que normalmente fugimos. Dias em que podemos dar uma conferida no resultado das escolhas que estamos fazendo da nossa vida. O que você tem achado? O que você tem plantado e colhido?

Estamos fechados para balanço e não rolou aviso prévio. Podemos aproveitar este momento para refletir, ajustar, sintonizar e seguir. Podemos fazer e resolver aquelas pequenas coisas que nunca saem da To DO list por falta de tempo. Podemos dar o tempo e atenção que os filhos merecem de verdade. Podemos nos organizar para dar tempo para nós mesmos, como merecemos.

Esse tempo nosso que é vida nos nossos dias. Horas e horas que são dedicadas a trabalho, a redes sociais, a conversar sem pé nem cabeça, a dias sem foco e ações sem propósito. O que de fato você está fazendo nos seus dias?

Que tanto você tem escolhido estudar, atualizar suas informações e fazer novas escolhas? Que tanto você para pensar e ver o que está fazendo da sua vida?

Estava mesmo precisando deste tempo em mim. Intuitivamente, silenciei um tanto antes, me permiti observar, acalmar e não ter pressa. Na verdade, estou neste movimento há alguns anos. Nos últimos anos da minha vida estive dedicada a atravessar com minha família momentos muito difíceis, que pediram dedicação, entrega, serenidade e compaixão de forma integral. Isso me trouxe muitos aprendizados, muita resiliência para entender a potência de cada da fase da vida.

Tenho a sensação que são muitas vidas em uma só. Já fui tantas de mim mesma. Algumas vezes mais distante, mais solitária, mais presente, mais segura outras nem tanto, alguma mais perdida e sofrida, com medo e outras vezes bem grata e alegre. Diferentes ritmos, pessoas, prioridades. Haja desapego e confiança!

Uma coisa me chama muita atenção, para atravessar essa jornada que é a vida, é importante saber quem sou, ter consciência dos meus valores, dos meus sentimentos, dos meus medos, da minha verdade.

E pelos estudos de me SER, passo pela autoestima, porque sem ela, fico fraca, duvido de mim mesma, do meu potencial, da minha intuição. Fortalecer a autoestima significa ser coerente com quem acredito que devo ser; fiel a mim, estar atenta a tríade: pensamentos, sentimentos e ações. O famoso walk the talk.

Tão valioso quanto respeitar o outro é respeitar a si próprio, os seus limites; escolher livremente, mas sem perder de vista valores e princípios internos. Me sinto mais forte, mais segura e centrada quando estou em sintonia com o meu mais íntimo, quando obedeço a mim mesma.

Não é simples e nem fácil, mas é libertador. Estar consciente da minha existência me traz a disciplina e a rotina que me ajudam a escolher e compreender os desafios; superá-los e vou aprimorando o olhar, transformando o que precisa ser transformado; fico mais próxima do que quero viver. Assim, honro a minha vida, meus passos, e tenho a impressão que dou o tom para as novas experiências.

Desejo que este seja um novo ciclo para todos nós. Que possamos estar abertos aos aprendizados desta fase. Que você consiga parar, refletir, cuidar dos seus sonhos, nutrir seus dias com bons pensamentos, ensinamentos, nutrir seu corpo com tudo que a terra lhe oferece de bom (#GoVegan), nutrir sua alma com amor, fé, esperança e compaixão.

Dani

0 visualização
Inscreva-se para receber conteúdos e novidades!