Um lugar infinito e particular

Quando os pensamentos estão muito embaralhados, confusos e doídos aprendi que o melhor lugar para ir é para dentro de mim.

Sim, abro a porta para o meu infinito particular e entro com calma; logo sigo acompanhada de um sentimento de gratidão enorme. Gratidão por ter cultivado em mim esse lugar, esse pequeno espaço aonde conecto forças e fraquezas, medos e fé.


É um espaço real e de muita confiança. Aonde abro meu coração e choro e sinto e me liberto. Por muitas vezes preciso de um ticket, uma aval pessoal para girar a chave que me leva até lá. Esse acesso acontece por meio do silêncio, de respiração e em alguns momentos utilizo a escrita para trazer clareza.


O alívio vai acontecendo aos poucos, mas já nos primeiros minutos, sinto que esse é meu caminho, é um caminho aonde me curo, mudo, transmuto o que se faz preciso.

Todos nós temos um lugar como este. Mas como ele é muito poderoso, não se entrega assim tão facilmente, exige um compromisso, uma capacidade de não julgamento, de abertura e entrega ao firmamento.


Através dessas experiências vou desfazendo nós repenso regras e combinados feitos por mim, mas que não fazem mais sentido e estão vencidos. Assumo novos riscos, novas aventuras, pesquisas internas sobre a vida que tenho vivido.


Esses momentos são preciosos e se soubermos valorizar podemos nos reinventar, fortalecer o nosso amor próprio, honrar nossas histórias e relacionamentos.


São nesses momentos em que me perdoo por tanta dureza, tanta exigência e pelas escolhas nubladas que fiz e então consigo escolher como quero seguir daqui pra frente.

Volto destes trajetos sentindo muito amor, conexão e atenção à profundidade, beleza e mistérios da minha alma.


Inspiro, expiro e me firmo no Eu Sou.


Eu sou Daniela Santos de Alencar.


Seguimos sintonizando,

Dani.

1 visualização0 comentário